Seguidores da Ocupação

quarta-feira, 29 de março de 2017

Ocupação Cultural realiza primeira edição 2017 em Cachoeira

O Pouso da Palavra, em Cachoeira, recebeu na última sexta, 17, a primeira edição da Ocupação Cultural realizada em 2017. Numa noite dedicada à arte, com destaque para a música, o teatro e a poesia, o evento contou com o lançamento do livro “Da mata ao céu”, da poetisa Clarice Marcon, recital e performances de artistas das cidades de Candeias, Salvador, Cachoeira e Valença. “A Ocupação já se consolidou em Valença e vem ganhando espaço cada vez mais em Cachoeira. Por isso realizamos essa edição inicial no Pouso da Palavra. Em Valença, numa parceria firmada com o Centro de Cultura, voltaremos em março para, mais uma vez, comemora o mês do teatro” – declarou Adriano Pereira, idealizador da Ocupação. Otávio Mota, coordenador do Centro de Cultura de Valença, mais uma vez presente, participou com poesias e da leitura dramática do Texto Tienhe Dendê. "A literatura, o teatro, a música, a dança, a cultura popular, vem marcando de forma forte a "Ocupação Cultural" e não foi diferente em mais uma edição na cidade de Cachoeira. Artistas emergentes juntaram-se a nomes já consagrados numa mostra plural, onde as gerações interagem disseminando e potencializando a cultura Valenciana, na sua diversidade" – afirmou o poeta. Bárbara Uíla, poetisa cachoeirana, que também recitou, declarou que “foi uma noite memorável, com a presença de vários artistas, alguns de Valença e artistas locais que apareceram pra prestigiar. Junto com a ocupação teve o “cartas na manga” roda de poesia que reúne escritores pra discutir o processo da escrita, o que foi muito produtivo pois tinham pessoas novas afim de falar seus textos, e dentre tudo isso a musica -performance-poesia tomou conta da noite que terminou com todos muito satisfeitos!” Para o violonista Rafique Nasser, que já participou de outras edições da Ocupação, pela primeira vez em Cachoeira, "Estar em Cachoeira, na ocupação cultural e na casa de Damário da Cruz é um desbunde. Extasia quem assume o papel de artista. Incentiva os que buscam o preenchimento a partir da arte, vez que Cachoeira passou além do conceito científico de cidade e é um projeto poético-arquitetônico, onde quase tudo que há nela poderia ser versado pelos múltiplos poetas que lá têm. A cidade, acompanhada da Ocupação Cultural, é uma ebulição de cores, melodias e palavras". O dramaturgo Chico Nascimento, também pela primeira vez na Ocupação em Cachoeira, afirmou que a Ocupação Cultural no Pouso da Palavra foi uma demonstração da força da diversidade pelas vias da Arte. “A Ocupação em Cachoeira foi um jeito bom de encontrar gente que faz arte, de acontecer arte em um espaço sagrado onde a profana poesia da boca se enraíza na boca sagrada de Damário Dácruz, uma luz poética que sobrevive a qualquer tempo e faz correr no manto do Rio Paraguaçu o néctar que alimenta poetas de todxs os santos, inquices e orixás... cantando, dançando, ouvindo o som da Bahia que se mistura aos acordes de todas as bocas solfejadas pela Ocupação Cultural de Valença em todos os cantos” A Ocupação contou ainda com a presença da poetisa de Candeias, Marinalva Freitas, acompanhada de seu filho, o músico Márcio Gualberto que encantou a todos executando peças em seu cavaquinho; do grupo Novos valencianos (Everton Bacella, Evenny Quéren e Sulivan Andrade), com a performance “Bolsolixo”; além das Secretárias de Cultura (Janete Vomeri) e Juventude ( Jéssica Brandão), acompanhadas de suas equipes. O evento teve o apoio da Prefeitura de Valença, Ifbaiano e o mandato do Vereador Adailton Francisco, além da parceria com o Centro De Cultura/DEC/SECULT-BA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário