Seguidores da Ocupação

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

OCUPAÇÃO (RE)NASCE NA CASA DE CULTURA MARIA CLÁUDIA


“Se o grão de trigo não morre, não produzirá frutos!”
Jesus

Cinco letras. Poderia ser Maria. Mas ela preferiu Sofia. Este é o título do solo que Maria Suelma pretende mostrar como ocupante da Casa de Cultura Maria Cláudia Rodrigues (MaCRo). Formada em direção teatral pela UFBA, depois de dirigir Amêsa e No outro lado do mar, Suelma ministrou durante os meses de setembro e outubro a Oficina de Inpiração Teatral para atores de nossa cidade. Do re-encontro com Valença surgiu coragem para estrear uma cena do espetáculo onde pretende atuar. Para conhecer Suelma e o resto da história basta comparecer à primeira OCUPAÇÃO CULTURAL que será realizada no próximo dia 15 às 15 horas, na MACRO.

Maria é o título do solo que será apresentado por Cadu Oliveira, ator, escritor e jornalista graduado pela UFBA. Entre bastidores e camarins, enquanto nos preparávamos para apresentar o espetáculo “Há vagas para rapazes de fino trato” – para deleite e riso meu e de Mateus Magyver, Maria abriu a porta e sem pedir permissão fez-nos chorar de rir. Cadu tocou o desafio de parir Maria e já confirmou presença dia 15.

“preta, negra linda/ eu sei que você ta aí!” – esse é o refrão da canção composta por Mateus para homenagear a dona da casa. Até lá espero que me ajudem a convencer Mateus a apresentar a composição.

Magyver, MOnkey, David Terra, Fred Gazo e Raony. São os 5 da música que podem virar 7 e se na Bíblia 7 é infinito... Kilombra! È o som do 3º mundo, dos malucos de Valença que se reuniram num sítio no ultimo final de semana para ensaiar o repertório de uma banda que fez a cena anos passados. Agora Monkey manda um novo recado “eu não sei falar inglês/ minha língua é guarani-tupinambá” – mostrando parte do novo repertório que se renova e recria-se com novos elementos.

Da lama ao caos/ do caos à lama...

U.T.I – surgida nos anos 90, com membros da primeira formação como Fred Gazo e Leo, a banda sobrevive fazendo jus ao nome e promete voltar fazendo re-leituras de lendárias composições como “chapado na colina”.

Tudo nascendo! Renascendo! Afinal, “apesar de tanto não/ tanta dor que nos invade/ somos nós a alegria da cidade”

Com tantos nascimentos acontecendo e por acontecer vamos “deixar vir as criancinhas, pois delas são o reino dos céus” – então, como no teatro mágico, vamos juntar tudo numa coisa só!

Tá decretado! A partir das 15 horas, no dia 15, na MACRO, para felicidade geral de todos, o palhaço James e a boneca Jamile receberão a todos com doces ou travessuras.

Convocamos a todos para confirmarem presença e ocuparem seu espaço!

Pode chegar
Que a festa vai
É começar agora
E é prá chegar quem quiser
Deixe a tristeza prá lá
E traga o seu coração
Sua presença de irmão
Nós precisamos
De você nesse cordão...
Pode chegar
Que a casa é grande
E é toda nossa
Vamos limpar o salão
Para um desfile melhor
Vamos cuidar da harmonia
Da nossa evolução
Da unidade vai nascer
A nova idade
Da unidade vai nascer
A novidade...
E é prá chegar
Sabendo que a gente tem
O sol na mão
E o brilho das pessoas
É bem maior
Irá iluminar nossas manhãs
Vamos levar o samba com união
No pique de uma escola campeã...
Não vamos deixar
Ninguém atrapalhar
A nossa passagem
Não vamos deixar ninguém
Chegar com sacanagem
Vambora que a hora é essa
E vamos ganhar
Não vamos deixar
Uns e outros melar...
Oô eô eá!
E a festa vai apenas
Começar
Oô eô eá!
Não vamos deixar
Ninguém dispersar

Nenhum comentário:

Postar um comentário