Seguidores da Ocupação

sábado, 31 de julho de 2010

OCUPAÇÃO CULTURAL COMEMORA CENTENÁRIO DE ADONIRAN BARBOSA E CINQUENTENÁRIO DE JULIANO BRITTO


“Ói, turma, num deu pra esperá.Aduvido que isso, num faz mar, num tem importância.Assinado em cruz porque não sei escrever" – Assim era o bilhete que o Arnesto devia ter deixado na porta segundo Adoniran Barbosa.

Na próxima sexta feira, Adoniran estará completando 100 anos e era intenção do Projeto Ocupação Cultural homenageá-lo. Por motivos de força maior, o evento teve que ser adiado.

“Que tristeza que eu sentia... Eu quis gritar. Mas em cima Juliano falou: - os “home tá com a razão. Nois arranja outra data. Só se conformemo quando Otávio falou: - Deus dá o frio conforme o cobertor”

Com a devida licença poética, foi mais ou menos isso que aconteceu. E assim ficamos: Próxima Ocupação Cultural, dia 20 de Agosto. Comemorando um século de Adoniran Barbosa e meio século de um outro artista não menos importante.

50 anos de Juliano Britto. Uma vida dedicada às artes práticas. Juliano poeta. Juliano ator. Juliano pintor. Arte educador. Nosso professor, mestre, diretor. O “parceiro de todas as loucuras”.

Gente Valença. É Churria viu santa. Apocalipse man. Pensão boa paz. Quero ver ardiê. Calu e o rei Raul. Geração Coca Cola. Quem? Ao ídolo invicto. A serpente. Teatro nu. Esperança. A turma do Bob Esponja. Cuida bem de mim.A mulher que comeu caranguejo e ficou grávida. – são nomes de espetáculos que Juliano atuou ou dirigiu.

É impossivel contar a história do teatro valenciano sem mencionar o nome de Juliano Britto. São diversas gerações de atores, diversos grupos ou trabalhos solos, isso sem falar sem suas incursões pelas artes plásticas, sua produção escrita (boa parte ainda inédita ou pouco conhecida) e sua presença marcante na Ocupação Cultural.

Realizar esta Ocupação é prestar uma homenagem. Um tributo. Mais que isso, é contar e re-encontrar- nos com nós mesmos. É trazer à memória imagens que ficaram gravadas nas retinas. “...pelos personagens que criamos, pelas aventuras que realizamos, pelos choros e alegrias que arrancamos, pelas furadas, pelos acertos, pelas alegrias, pelas tristezas, pela união, pela desavença, pela vida...” como a brevidade de luzes que se apagam e acendem para conceber mais um ato. Onde o público aplaude e pede bis.

Por esta razão convidamos todos os atores, atrizes, alunos, alunas, amigos e parceiros para confirmarem o quanto antes a sua presença. Registre aqui através de um comentário sua participação.

Um comentário:

  1. Julibrito
    Chico Nascimento

    Cara boa de gente arquitetando multifaces sem precisar fazer repentes
    Marca boa de alma nascida na arte final de iniciar vidas sem esquecer as nascentes
    Juliano da familia poeta de matizes Julibrito insignia forte sem esquecer da gente
    Olhar aguçado de homem artista infinitamente singular sem esquecer cores presentes
    Dádiva divina à Valença imagem de muita crença vasta vela de barco da renascença
    Palavra silenciosa que explode em nossas vidas de um Julibrito que age e pensa!

    ResponderExcluir