Seguidores da Ocupação

terça-feira, 9 de junho de 2009

ÚLTIMA OCUPAÇÃO CULTURAL

Ocupação Cultural –Um breve registro

Iniciada em 13 de fevereiro, com um pequeno grupo de artistas, a Ocupação Cultural manteve-se, entre altos e baixos, como todo projeto, por dez edições.
Por este espaço apresentaram-se, de igual pra igual, em total interação com o público presente, cerca de 80 artistas,entre atores,músicos, grupos de dança,poetas, artistas plásticos e os mais diversos segmentos das artes.
Tudo isso gratuitamente, sem nenhum recurso, como um presente para um público médio estimado de 80 a 100 pessoas por cada edição realizada. Somando em números absolutos, realizamos mais de 30 horas de apresentações num revezamento interativo de cor,imagem e som.
Nas palavras de Isabela Britto, uma de nossas ocupantes de 1ª hora “A ocupação nada mais é do que o abraço escondido pelo tempo. O resgate de uma época onde a arte dessa cidade era efervescente.”
Mas não se trata de um abraço estático, saudosista... como bem definiu um outro ocupante, nosso querido Chico Nascimento: “A OCUPAÇÂO não é mero ponto de encontro de artistas e suas expressões, vai muito além, é, sem dúvida, o processo de construção e exposição mais legitimo da produção cultural criado nos últimos tempos. Não apresenta restrições burocráticas, está aberto à diversidade, não distingue a criação "estética" como alma, mas amplia as chances de sobrevivência da própria alma humana, sem patrocínio, apenas com identidade e elegância, superando entraves burocráticos existencias da crise sócio-política brasileira. Aqui se faz a verdadeira redenção contextualizada dos artistas e das suas obras, onde a platéia se diverte, bebe, ri, suspira, renova-se e retroalimentam o tempo libertário para um novo encontro!”
Ainda não é possível fazer sua autopsia. Mas já podemos tirar algumas lições:

· Que Valença é um celeiro de artistas de primeira grandeza. A grande maioria adormecidos, por falta de possibilidades, espaço e estímulo.

· Que é possível fazer um projeto alternativo, mesmo sem recursos, mantendo uma relação de respeito com nossos artistas.

· Que é difícil, mas possível e prazeroso trabalhar com uma diversidade enorme de pensamentos e opiniões, mesmo divergentes e aparentemente tão díspares.

· Que muitos que se colocam como artistas, fazedores de cultura estão na verdade muito mais interessados em aparecer ou se promover e viram as costas quando seus interesses imediatos não são contemplados... por outro lado, de onde menos se espera, é possível construir redes de solidariedade e respeito que ajudaram e muito a fortalecer nossa consciência e a importância do nosso papel enquanto artistas.

· Que não devemos deixar de lutar pelo que acreditamos, mesmo quando isto pareça impossível ou inatingível.

· Que juntos, somos fortes!

Juntos, nesses seis meses, aprendemos, convivendo com diferenças, amadurecemos e saímos fortalecidos e mais solidários.

Ainda não sabemos qual será o futuro da ocupação, mas de uma coisa temos certeza, já fizemos história. Diversas possibilidades e perspectivas têm se aberto...
Agora é o momento de celebrarmos toda essa diversidade que construímos.
Estaremos reunidos num grande arraiá, dia 19 de Junho para encerrar esse profícuo semestre de ocupações.
Por isso convidamos todos para se fazerem presentes, reocuparem esse espaço. Dar cor, alegria e manter aceso o fogo que nos une. Convidamos também aqueles que, por qualquer razão, ainda não tenha pisado nesse palco. é agora ou nunca.

Creio que não existiria metáfora melhor para encerrar este projeto.
É na fogueira que nos aquecemos, queimamos o que não nos serve mais... o fogo é também um símbolo da união desde as mais remotas culturas e é de suas cinzas que surge o novo. Não por acaso, no mito grego, Prometeu, pagando um preço caro por seu amor à humanidade, rouba o fogo, dando aos homens a imortalidade...

Vamos levantar poeira! Nos encontramos todos dia 19 nesse grande arraiá dos artistas numa grande celebração da nossa cultura. Neste espaço que construímos com a ajuda de cada um ao longo de cada ocupação e é nosso por direito. Prepare sua apresentação e entre em contato já para agendá-la.

Como sugestão de tema, para encerrar o semestre das "ocupações", propomos a realização de um grande arraial junino, valorizando a cultura nordestina com suas ricas manifestações englobando os festejos juninos, através dos seus compositores, comidas típicas, causos, vestimentas, etc. Dia 20, é também dia do Cinema Brasileiro.

Um forte abraço a todos e aguardo contato

Adriano Pereira
pequenoprincipe2@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário